terça-feira, 15 de outubro de 2013

DICAS LPIC - TÓPICO 102: INSTALAÇÃO DO LINUX E ADMINISTRAÇÃO DE PACOTES

 Peso 11



1. Qual o comando pode ser usado para listar as partições do dispositivo?

a) cat /dev/sda
b) ls -l /dev/sda
c) fdisk -p /dev/sda
d) fdisk -l /dev/sda


Resposta Correta d

------------------------
@ Resolução @
------------------------

O comando cat é utilizado mostrar conteúdos de arquivos de texto no terminal. Como /dev/sda é uma partição, o comando retornará um erro;

ls -l lista arquivos e diretórios de forma detalhada;

O comando fdisk é utilizado para manipular partições no Linux. Nesta questão foram apresentadas duas alternativas com o uso desse comando. A opção -l lista as partições de um HD enquanto a -p exibe as tabelas de partições.

Para maiores informações, veja este excelente artigo http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Gerenciando-o-HD-com-o-fdisk?pagina=1

____________________________________


2. Qual o código hexadecimal que identifica uma partição Linux Swap?

a) 81
b) 82
c) 83
d) 8e


Resposta Correta b

------------------------
@ Resolução @
------------------------

Para critério de conhecimento, a partição raiz / é identificada pelo código hexadecimal 83 (0x83) LInux Native.

____________________________________


3. Quais diretórios na partição raiz podem ser pontos de montagem para outras partições? Marque todos os corretos.

a) /sbin
b) /etc
c) /var
d) /home


Respostas Corretas c e d

------------------------
@ Resolução @
------------------------

/sbin - Este diretório armazena os programas utilizados pelo root e devem e não podem ficar em uma partição separada;

/etc - Diretório onde são armazenadas arquivos de configuração de todo o sistema Linux;

/var -  Esse diretório contém as filas de e-mail, impressão, banco de dados e logs do sistema. É muito importante que este diretório esteja em uma partição separada evitando que a estabilidade do sistema seja ameaça por falta de espaço;

/home - Contém os diretórios e arquivos pessoais dos usuários. Cada usuário criado no sistema terá uma pasta com seu nome de login criada neste diretório.

____________________________________


4. Após configurar o carregador de boot Lilo, o sistema não iniciou como esperado. Qual a causa provável?

a) O hardware não é compatível com o carregador Lilo
b) A versão do Lilo é muita antiga e deve ser atualizada
c) O Lilo não foin instalado na MBR com o comando lilo
d) A MBR do disco primário é muito pequena


Respostas Corretas c 

------------------------
@ Resolução @
------------------------

O arquivo de configuração do Lilo encontra-se em /etc/lilo.conf. Toda vez que houver alterações neste arquivo, se faz necessário executar o comando /sbin/lilo gravando as configurações na MBR (Master Boot Record.

____________________________________


5. O principal arquivo de configuração do carregador GRUB é o:

a) /boot/grub/menu.lst
b) /etc/grub.conf
c) /etc/menu.lst
d) /etc/grub/menu.lst


Respostas Corretas a

------------------------
@ Resolução @
------------------------

O GRUB (Grand Unifed Bootloader) é hoje o carregador de boot mais utilizado pelas distrubuições Linux como Debian, Ubuntu, Fedora.

Ele é instalado na MBR pelo comando /sbin/grub-install, que obtém as instruções configuradas em /boot/grub/menu.lst.

____________________________________


6. Qual o comando usado para identificar as bibliotecas compartilhadas que um programa necessita?


Resposta Correta ldd

------------------------
@ Resolução @
------------------------

As bibliotecas no Linux podem ser comparadas com as famosas dlls do Microsoft Windows. No Linux há dois tipos de bibliotecas: compartilhadas e estáticas.

As bibliotecas compartilhadas permitem que vários programas possam utilizá-las sem a necessidade de embuti-las em seu código fonte. A desvantagem está no fato de que se essa(s) biblioteca(s) foram atualizadas, os programas que as tem vinculadas podem não mais funcionar. Esta é uma das modalidades mais utilizadas pelos programadores.

Já as bibliotecas estáticas vem embutidas no código fonte do programa. Com isso, o programa pode ficar bem grande.

____________________________________


7. Qual o principal arquivo de configuração que determina a localição das bibliotecas compartilhadas do sistema?


Resposta  /etc/ld.so.conf

------------------------
@ Resolução @
------------------------


O programa responsável por carregar a biblioteca e ligá-la ao programa que dela depende é o ld.so. Este consegue localizar a biblioteca em questão com o auxílio do mapeamento encontrado no arquivo /etc/ld.so.cache.

Os locais padrões das bibliotecas do sistema são /lib e /usr/lib.

____________________________________


8. Qual o comando de ser executado apés alterar o arquivo /etc/apt/sources.list?

a) apt-get search
b) apt-get upgrade
c) apt-get update
d) apt-get safe-upgrade


Resposta  Correta c

------------------------
@ Resolução @
------------------------

apt-get search - Localiza um pacote desejado, caso este esteja em um dos repositórios da distribuição Linux;

apt-get upgrade - Atualiza todos os pacotes do sistema Linux;

apt-get update - Atualiza a lista de pacotes dos repositórios quando estes são modificados no arquivo /etc/apt/sources.list;

apt-get safe-upgrade - O safe-upgrade é utilizado com o comando aptitude.

Tanto o apt-get e o aptitude são gerenciadores de pacotes do Debian e seus derivados.

____________________________________


9. Qual a opção do dpkg localiza o pacote que instalou determinado arquivo?

a) -S
b) -L
c) --contents
d) --file


Resposta  Correta a

------------------------
@ Resolução @
------------------------

-S Procura qual pacote instalou o arquivo especificado;

-L Lista os arquivos instalados pelo pacote especificado;

--contents Lista o conteúdo do pacote especificado.

____________________________________


10. Qual opção do comando rpm mostra os pacotes exigidos por um arquivo .rpm?

a) --requires
b) --whatrequires
c) --depends
d) --needed


Resposta  Correta a

------------------------
@ Resolução @
------------------------

Outras opções importantes do rpm são:

--nodeps: instala o pacote sem verificar as dependências;
--force: Força a instalação/atualização;
--test: Mostra como seria a instalação, mas não instala;
--whatrequeries: Com opção principal "q", quais programas dependem do pacote.

____________________________________


11. Onde fica localizado os arquivo de configuração do yum?


Resposta  Correta /etc/yum.conf


Recomendo a aquisição de materiais complementares como os livros:

Certificação LPI-1 de Luciano Antonio Siqueira 

Certificação Linux LPI - Rápido e prático, guia de referência dos autores Adam Haeder, Stephen Addion Schneiter.

Bons estudos a todos!


CRIANDO UMA AGENDA DE CONTATOS Part. 1

Veja como é simples utilizar a linguagem shell para criar uma agenda de contatos e com isso aprender um pouco mais a como trabalhar neste ambiente de programação.

Coloquei o código com numeração nas linhas para melhor explicar como funciona. Claro que o código será melhorado com o passar das semanas até ficar todo completo. Acompanhe toda semana um post com as atualizações.

O carácter # indica que a linha é um comentário e não será interpretado pelo shell. Salve o arquivo com algum editor de textos do Linux e em seguida dê permissão para execução com o comando chmod +x nomedoarquivo. Execute o script ./nomedoarquivo e o programinha da agenda será iniciado. Isso deve ser feito no terminal.



     1 #!/bin/bash
     2 #Autor: Wagner Souza
     3 #Data de criação: 15/10/1013
     4 #Versão: 0.1
     5
     6 #Variável utilizada para armazenar o total de registros cadastrados
     7 tr=`wc -l dados | cut -d" " -f1`
     8
     9 #Comandos para apresentar a data e hora atual
    10 data=`date +%d/%m/%Y`
    11 hora=`date +%T`
    12
    13
    14 echo " __________________________________"
    15 echo
    16 echo "              AGENDA "
    17 echo "          by wagner souza"
    18 echo " __________________________________"
    19 echo
    20 echo "Cadastrados : $tr | $data $hora"
    21 echo
    22 # O echo com a opção -n retira a quebra de linha
    23 echo -n "Nome: "
    24 read nome
    25
    26 echo -n "Telefone: "
    27 read fone
    28
    29 echo -n "E-mail: "
    30 read email
    31
    32 echo "$nome;$fone;$email" >>  dados
    33
    34 #Se for colocada a mesma variável do início deste script
    35 #a informação estará desatualizada. Por isso foi criada esta atualizada
    36 tratual=`wc -l dados | cut -d" " -f1`
    37
    38 echo "Total de registros cadastrados: $tratual "
    39 echo
    40 echo "O que deseja fazer? "
    41 echo "< 1 > Listar os registros"
    42 echo "< 2 > Continuar cadastrando"
    43 echo "< 0 > Sair"
    44 read opcao
    45
    46 case $opcao in
    47 1) cat -n dados ;;
    48 2) clear ; ./agenda.sh ;;
    49 3) exit ;;
    50 *) echo "Opção inválida!"
    51 esac
    52
 

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

sábado, 21 de setembro de 2013

Mini Curso Zimbra 7.2

 O Pacote de colaboração Zimbra é um aplicativo completo de mensagens instantâneas e colaboração que oferece recursos de e-mail, listas de endereços, calendário, serviço de agenda, listas de tarefas, entre outros

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

ERRO: KERNEL DRIVER NOT INSTALLED (RC=-1908) NO VIRTUALBOX

Após a atualização de um sistema linux, o virtualbox pode apresentar o seguinte erro: kernel driver  not installed (rc=-1908).








Não precisa se desesperar! Antes de fazer os procedimentos abaixo, feche o programa do virtualbox.

Levando em consideração que você esteja utilizando um sistema linux, basta seguir os passos abaixo:

 1. Abra o terminal e execute o comando /etc/init.d/vboxdrv setup e pressione ENTER. Este comando vai compilar novamente o módulo DKMS no seu kernel
 

 2. Aguarde o término da compilação e caso não haja problemas, o módulo será validado



Pronto! Abra o virtualbox e inicie sua máquina virtual e o problema não irá aparecer.
 

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

ACESSANDO SERVIDORES FTP VIA LINHA DE COMANDO NO LINUX

Mais uma dica preciosa para os amantes da liberdade Linux. Hoje, mostrarei como realizar a transferência de arquivos, pela linha de comandos, direto de um servidor FTP pelo terminal do Linux. Mãos na massa!

1. Por questão de organização, vamos criar uma pasta para armazenar os arquivos baixados. Se logue como root e digite o comando mkdir arquivos. Criado o diretório, entre neste com o comando:

# cd arquivos
2. Diretório criado para armazenar os arquivos, vamos utilizar o comando ftp. Vou escolher o seguinte endereço para exemplo: http://ftp.oleane.net Veja na figura abaixo a execução do comando:


3. Em seguida, será solicitado usuário e senha do servidor. Neste exemplo, o servidor permite conexões anônimas. Em Name, digite anonymous. Pressione ENTER, e será solicitado um senha. Pressione ENTER novamente


4. Feito isso, você já está conectado ao servidor ftp e já pode executar um dos comandos abaixo:

  • get: Para baixar os arquivos 
  • put: Para subir arquivos 
  • lid: Especifica o diretório local sobre o que vamos trabalhar 
  • cd: Utiliza-se para se mover através dos diretórios 
  • delete: Elimina um arquivo do servidor remoto 
  • oppend: permite recompor um download que tenha sido interrumpido 
  • open: abre uma sessão no FTP 
  • close: termina a sessão com o FTP 
  • bye: fecha a sessão e sai do programa de forma que todas as sessões abertas se fechem 
  • ls: mostra o conteúdo do servidor remoto 
  • mput: sobe vários arquivos ao servidor 
  • mget: baixa vários arquivos ao computador local 
  • user: serve para mudar o usuário com o qual nos conectamos ao FTP 
  • bynary: situa-nos em modo binário 
  • ascii: situa-nos em modo de arquivos de texto 

5. Comece listando os diretórios:



6. A ideia deste tutorial é baixar o ubuntu 13.04 uma imagem iso para ser gravada. Execute o comando cd, para entrar no diretório ubuntu-cd. Liste os diretórios com o comando ls e você verá um diretório com o nome 13.04. Entre neste diretório que é lá onde estão as imagens isos entre outros arquivos


7. Liste os arquivos do diretório. O arquivos que queremos baixar é o 
ubuntu-13.04-desktop-i386.iso. Você pode baixar qualquer um. Escolhi este como exemplo. Para fazer o download de um arquivos, o comando get faz isso tranquilo: 



Aguarde o término do download e o arquivo será baixado no diretório atual em que você está. Uma outra dica muito importe é que caso você queira baixar vários arquivos de uma única vez, pode usar o comando mget

ftp> mget *.iso

Baixa todos os arquivos com extensão .iso. O incoveniente é que você terá que pressionar y (yes) confirmando o download de cada arquivo. Para evitar isso, faça:

ftp> prompt [ENTER]

ftp> mget *.iso

Caso não queira baixar os arquivos por extensão, pode digitar o nome de cada um separados por espaços:

ftp> mget arquivo1 arquivo2 

E para finalizar, o comando abaixo permite copiar todos os arquivos dentro de um diretório:

ftp> mget *


Espero que tenham gostado. Deixem um comentário e curta a página no facebook.

LIVRO: PROGRAMAÇÃO SHELL LINUX



Para quem gosta de programa em Shell, segue a recomendação da leitura deste excelente livro do grande mestre Júlio Neves.

O livro foi publicado no Google Livros e está com o 90% de seu conteúdo liberado, mais do que suficiente para aprender a programar em Shell.

Boa leitura!

EDIÇÃO DE JULHO/2013 DA REVISTA RTI



terça-feira, 6 de agosto de 2013

DICAS LPIC - TÓPICO 101: ARQUITETURA DE SISTEMA



Peso 8



1. Qual comando pode ser utilizado para inspecionar o hardware do sistema?


a) ls 
b) lspci
c) find
d) hwclock

Resposta Correta b

------------------------
@ Resolução @
------------------------

=> O Comando ls permite listar arquivos e diretórios do sistema. Através de argumentos, pode-se obter diferentes resultados como:


$ ls -a - Lista todos os arquivos, inclusive os ocultos, e diretórios

$ ls -l -  Lista todos os arquivos e diretórios incluindo detalhes como dono, permissões e data de criação

$ ls -d - Mostra propriedades de um diretório, não seu conteúdo

=> O comando lspci mostra todos os componentes conectados ao barramento PCI, como controladora de disco, placas externas, controladora USB ....

Saída do comando lspci

suporte@prometheus:~$ lspci
00:00.0 Host bridge: Intel Corporation Mobile 4 Series Chipset Memory Controller Hub (rev 09)
00:02.0 VGA compatible controller: Intel Corporation Mobile 4 Series Chipset Integrated Graphics Controller (rev 09)
00:02.1 Display controller: Intel Corporation Mobile 4 Series Chipset Integrated Graphics Controller (rev 09)

00:1a.0 USB controller: Intel Corporation 82801I (ICH9 Family) USB UHCI Controller #4 (rev 03)

É possível obter mais detalhes sobre o dispositivo reconhecido pelo sistema através das opções -s (mostra os dispositivos selecionados) e -v (verbose) junto com o ID do dispositivo. Este número está no início da cada linha.

suporte@prometheus:~$ lspci -s 00:02.0 -v
00:02.0 VGA compatible controller: Intel Corporation Mobile 4 Series Chipset Integrated Graphics Controller (rev 09) (prog-if 00 [VGA controller])
Subsystem: Device 1b0a:2009
Flags: bus master, fast devsel, latency 0, IRQ 46
Memory at fd800000 (64-bit, non-prefetchable) [size=4M]
Memory at d0000000 (64-bit, prefetchable) [size=256M]
I/O ports at cc00 [size=8]
Expansion ROM at [disabled]
Capabilities:
Kernel driver in use: i915
Kernel modules: i915

=> O find é utilizado para localizar arquivos e diretórios do sistema

=> hwclock, este comando permite modificar a data e hora da BIOS(Basic Input/Output System) de acordo com as configurações do sistema operacional

____________________________________

2. Como é possível verificar quais módulos estão carregados pelo sistema?

a) Com o comando depmod
b) Lendo o arquivo /etc/modprobe.conf
c) Com o comando lsmod
d) Com o comando uname -m


Resposta Correta c

------------------------
@ Resolução @
------------------------

Os módulos no linux podem ser comparados aos drivers do windows com a mesma finalidade que é a de permitir o bom funcionamento do vídeo, áudio entre outros dispositivos.

A um certo tempo atrás os fabricantes de hardware criavam drivers apenas para o windows o que obrigou aos desenvolvedores do linux a criar seus próprios módulos. Hoje, é bem diferente. Empresas como a Intel, HP investem pesado em desenvolvimento de hardwares compatíveis para linux.

=> O comando "depmod" ou "depmod -a" verifica as dependências dos módulos do kernel e grava o resultado no arquivo "/lib/modules/versão do kernel/modules.dep".

=> modprobe é um comando e não um arquivo para ativar módulos

=> Este comando mostra quais são os módulos disponíveis no Kernel e quais estão sendo utilizados. Ele usa como base o arquivo /proc/modules

=> uname -m informa qual o tipo de arquitetura que a máquina possui: 32 ou 64 bits

____________________________________


3. Qual nível de execução corresponde ao desligamento do sistema?

a) 0
b) 1
c) 2
d) 3

Resposta Correta a

------------------------
@ Resolução @
------------------------

O runlevel (nível de execução do sistema) é o grau de interação com o usuário que o sistema opera. Os runlevels são numerados de 0 a 6 podem variar de uma distribuição para outra.

=================
RUNLEVEL    
=================

0 -> Desligamento do sistema

1, s, S ->  Modo de usuário único, às vezes chamado de modo de manutenção. Neste modo, os serviços do sistema, tais como interfaces de rede, servidores web e compartilhamento de arquivos não são iniciados.  Todas as três opções 1, s, S significam a mesma coisa. O s é de single

2 -> Multiusuário. Em sistemas Debian, este é o nível de execução padrão. Em sistemas Red Hat, é um modo multiusuário sem o compartilhamento de arquivos NFS ou do sistema X Window - a interface gráfica do usuário

3 -> Em sistemas Red Hat, é o modo multiusuário padrão, que roda tudo exceto o sistema X Window. Os níveis 4 e 5 geralmente não são utilizados em sistemas Debian

4 -> Em geral, não é utilizado

5 -> Em sistemas Red Hat, modo multiusuário completo com o login GUI. Semelhante ao nível de execução 3, porém, com o X11 iniciado bem como o login GUI

6 -> Reinicializa o sistema

O runlevel é configurado no sistema podem ser visto no arquivo /etc/inittab. Outra forma é utilizando o comando abaixo em um terminal:

$ runlevel
____________________________________


4. Qual o caminho completo para a segunda partição de um disco IDE, conectado ao primeiro canal IDE?

Resposta  /dev/hda2

------------------------
@ Resolução @
------------------------

As partições no Linux não utilizam letras para nomeação destas como no Windows. De acordo com o tipo de dispositivo de armazenamento (IDE, SATA, SCSI), este receberá a seguinte nomeclatura:

/dev/hda1 -> Primeira partição do disco conectado como master no primeiro canal IDE. A letra "a" em qual canal o HD está conectado na placa-mãe. Os HDs IDE podem ser configurados como master ou slave. Na pergunta, o HD está conectado como slave que seria /dev/hda2. Caso o HD estivesse no segundo canal da placa-mãe receberia a nomeclatura /dev/hdb1, para master e /dev/hdb2 como master.

Os discos SATA e SCSI recebem a nomeclatura /dev/sda.

A letra "a" representa o HD e o número a particação.

/dev/sda1 -> Primeira partição do primeiro HD
/dev/sda2 -> Segunda partição do primeiro HD
/dev/sdb1 -> Primeira partição do segundo HD

____________________________________


5.   Será preciso realizar reiniciar o servidor às 19hs para efetuar as atualizações instaladas do novo kernel. Qual comando pode ser utilizado para agendar a reinicialização do sistema com uma mensagem informando o horário desta atividade para todos os usuários que estiverem logados?

Resposta  shutdown -r 19:00 "O sistema será reiniciado às 19hs"

------------------------
@ Resolução @
------------------------

O principal comando para desligar ou reiniciar o sistema no Linux é o shutdown. O comando shutdown tem as seguintes sitaxes: shutdown [opções] horário [mensagem].

Opções mais usadas do comando shutdown:

  • -a: usar o arquivo de permissão /etc/shutdown.allow. Apenas o usuário root tem a permissão para executar o comando shutdown. Caso precise que outro usuário possa executar este comando, cadastre-o no arquivo /etc/shutdown.alow
  • -r(reboot): reinicia a máquina
  • -h (halt): desliga a máquina
  • -t(time): define o tempo de espera antes de o comando shutdown executar a ação solicitada


Formatos de horário:

  • hh:mm: horário de execução
  • +m: minutos até a execução
  • now ou +0: execução imediata
Lembrando que apenas o argumento horário é obrigatório.

____________________________________


6.  Quais são os principais programas bootloader responsáveis por carregar o sistema Linux e seus respectivos arquivos de configuração?

Resposta  LILO (/etc/lilo.conf) ou GRUB (/boot/grup/menu.lst)

------------------------
@ Resolução @
------------------------

Bootloader é um gerenciador de boot que carrega o sistema operacional Linux após os testes de verificação do POST realizados pela BIOS.

LILO: LInux LOader
GRUB: Grand Unified Bootloader)

____________________________________


7. Quais os comandos podem ser utilizados para alternar entre runlevels? Marque quantas opções forem corretas.

a) shutdown
b) telinit
c) sysinit
d) init

Resposta  b e d

------------------------
@ Resolução @
------------------------

O sysinit é o processo executado durante o boot do sistema

____________________________________


8. Os únicos runlevels comuns a todas as distribuições Linux são:

a) 1,2 e 5
b) 0, 1 e 6
c) 0, 1 e 2
d) 0, 2 e 5

Resposta b

----------------------------------------------

RESUMO DESTE TÓPICO


  • 101.1 - Identificar e editar configurações de hardware (Peso 2)
  • 101.2 - Início (boot) do sistema (Peso 3)
  • 101.3 - Alternar runlevels, desligar e reiniciar o sistema (Peso 3)
O peso vai representar a quantidade de questões que cairão na prova. Fique atento!


ENTENDA COMO FUNCIONA A DISTRIBUIÇÃO GNU/LINUX DEBIAN

ENTENDA A CERTIFICAÇÃO RED HAT LINUX






DICAS LPIC - INTRODUÇÃO



>> INTRODUÇÃO <<

A partir de hoje, estarei postando algumas dicas relacionadas a certificação LPI. Estou estudando para realizar a prova e venho compartilhar algumas informações com aqueles que querem partilhar deste mesmo conhecimento.

A certificação LPI (Linux Professional Institute) foi desenvolvida para atestar profissionais e qualificá-los em tecnologias que envolvam o ambiente GNU/Linux. Isso torno o profissional especialista podendo trazer retornos financeiros àqueles que a possuem. Hoje as provas são conhecidas como LPIC.

Cada nível da LPI possuem duas provas e tem validade de dois anos sendo que caso o profissional consiga a LPI-2 a LPI-1 fica vitalícia, da mesma forma com a LPI-3.  Abaixo os níveis de provas:

LPIC-1 -> Administrador Linux de nível júnior. Provas 101 e 102

LPIC-2 -> Administrador Linux de nível pleno. Provas 201 e 202

LPIC-3 -> Administrador Linux sênior. A prova LPI 301 qualifica o profissional como "Core". E as provas de LPI 302 a LPI 306 o certificam como especialista. Para obter o LPIC - 3, o aluno não precisa passar nas duas provas. Passando na LPI 301 ele certifica-se como nível 3 e, nas demais provas, como especialista.

As provas possuem 60 questões com o tempo de realização de 90 minutos. Cada tópico possui um peso o qual veremos de acordo com os nossos estudos.

As dicas serão passadas através da resolução de exercícios para uma melhor aprendizagem.

Para maiores informações:





segunda-feira, 5 de agosto de 2013

ERRO NA LISTA DE PACOTES

No sábado, precisei atualizar o meu sistema operacional Ubuntu 12.04 LTS 64 bits e mes deparei com o seguinte erro:

root@familia:/var/lib/apt/lists# sudo apt-get install tree
Lendo listas de pacotes... Erro!
E: Encountered a section with no Package: header
E: Problem with MergeList /var/lib/apt/lists/br.archive.ubuntu.com_ubuntu_dists_precise_main_binary-amd64_Packages
E: As listas de pacotes ou os arquivos de estado não puderam ser analisados ou abertos.


Para resolver o problema acima, executei os seguintes comandos:


# rm -rf /var/lib/apt/lists*
rm 
-rf /var/lib/apt/lists/partial*
apt-get -f install
apt-get clean
apt-get update
apt-get upgrade

Após isso, o problema não ocorreu mais. Fica a dica!

INSTALANDO O LIBREOFFICE 4.1 NO UBUNTU 12.04

Antes de instalar uma nova versão do libreoffice se faz necessário remover a anterior. Por padrão, o Ubuntu 12.04 LTS, vem com a versão 3.5.7.2 uma versão bastante estável. Já faz um tempão que estou usando esta versão e não houve nenhuma atualização para novas versões já que o processo ainda envolve passar pelos crivos dos desenvolvedores da canonical para que depois seja disponibilizado atualizações.

Sempre é bom ter uma versão atualizada da suíte para uma maior compatibilidade de recursos com o Microsoft Office, correção de bugs, novas funcionalidades entre outros.

Particularmente gosto sempre de atualizar a cada 6 meses, pois, espero as versões mais estáveis já que existe versão release.

Siga os passos abaixo:

@>  Abra um terminal e execute o comando, como root:

# apt-get remove --purge libreoffice*

@> Será apresentada uma mensagem perguntado se realmente deseja fazer a remoção. Escolha s (sim)



@>  Aguarde a remoção completa dos pacotes e aplicativo libreoffice

@>  Adicione o repositório do libreoffice 4.1

# add-apt-repository ppa:libreoffice/ppa

@>  Será apresentada uma mensagem de confirmação da instalação do repositório. Pressione ENTER e aguarde o término





@>  No linux, sempre que um repositório é acrescentado é interessante realizar a atualização dos índices dos mesmos. Isso é importante para que possamos baixar as versões mais atualizadas de um aplicativo

# apt-get update

@>  Agora é o momento de iniciar a instalação:

# apt-get install libreoffice libreoffice-l10n-pt-br libreoffice-help-pt-br

@>  Confirme o início digitando s (sim) da instalação e aguarde o término



Feito isso, os aplicativos da suite libreoffice já estarão disponíveis para utilização. Achei bastante rápido a versão 64bits, devido ao meu sistema que possui a mesma arquitetura. A tendência é melhorar ainda mais. 

Conheça as novas funcionalidades do libreoffice 4.1 em http://pt-br.libreoffice.org/baixe-ja/novos-recursos/libreoffice-4-1/

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

sábado, 27 de julho de 2013

sexta-feira, 26 de julho de 2013

quinta-feira, 25 de julho de 2013

terça-feira, 23 de julho de 2013

PALESTRAS DO FÓRUM INTERNACIONAL DE SSOFTWARE LIVRE FISL 14


Para quem não teve oportunidade de estar conosco no FISL14, aí estão as gravações de algumas palestras. 
 
Debate: A importância da regulamentação dos padrões abertos para o ecossistema ODF
Video: http://hemingway.softwarelivre.org/fisl14/high/40t/sala40t-high-201307031501.ogg

Palestra: LibreOffice, The History
Video: http://hemingway.softwarelivre.org/fisl14/high/40t/sala40t-high-201307041458.ogg

Palestra: LibreOffice Project, Get Involved
Video: http://hemingway.softwarelivre.org/fisl14/high/40t/sala40t-high-201307031602.ogg

Palestra:LibreOffice - Continuous Community Integration
Video: http://hemingway.softwarelivre.org/fisl14/high/40t/sala40t-high-201307061400.ogg

Palestra: A Migração para Formatos Abertos de Documentos no Governo do RS
Video: http://hemingway.softwarelivre.org/fisl14/high/41c/sala41c-high-201307051801.ogg


OBS.: Recomendo utilizar o navegador Mozilla Firefox para assistir as palestras.

domingo, 21 de julho de 2013

CURSOS DE VIRTUALIZAÇÃO



A virtualização tanto de servidores como de desktop já é uma realidade nas grandes e médias empresas. Atrelado a essa tecnologia está a alta disponibilidade dos serviços. economia de energia elétrica entre outros fatores.

Estudo recomendado para todos.

Introdução a Virtualização

Vitualização com VMWARE

Microsoft Hyper-V